Circuito Mundial

  • Crédito: FIVB

    Aos 42 anos, técnica do cearense Márcio Araújo permanece intacta.

Despedida de um guerreiro da areia

Aos 42 anos, medalhista olímpico Márcio Araújo atua pela última vez em Fortaleza
Por: Redação - 27/04/2016 13:42:09

Um dos grandes nomes do vôlei de praia brasileiro está se despedindo das areias. Márcio Araújo, medalhista olímpico nos Jogos de Pequim 2008, realiza nas areias do Futuro, em Fortaleza (CE), cidade onde nasceu e mora até hoje, sua última competição internacional na carreira. Ao lado da família e amigos de longa data, o atleta estreou com o pé direito no Fortaleza Open, vencendo seus dois jogos nesta quarta-feira.

Mesmo aos 42 anos, 20 deles dedicados ao vôlei de praia, o profissionalismo e o cuidado com o corpo poderiam garantir um fôlego extra na carreira de Márcio Araújo. Entretanto, o cearense sai de cena justamente em sua cidade-natal, Fortaleza, onde começou a consolidar sua carreira irretocável.

"É muito importante jogar em casa, podendo representar o Brasil e o Ceará. Estou bastante feliz. Espero poder fazer um bom campeonato de despedida. Terminamos a temporada brasileira entre os quatro primeiros, ainda estou em alto nível, não tive nenhuma lesão nem nada que me impedisse de jogar qualquer competição", afirma Márcio Araújo.

De 1996 para cá, o jogador colecionou inúmeros títulos e a admiração de torcedores mundo afora. Venceu três campeonatos brasileiros com parceiros diferentes (em 2000, com Benjamin, 2005, em parceria com Fábio Luiz e ainda na temporada 2013/14, ao lado de Ricardo). Pelo Circuito Mundial foram 20 medalhas de ouro, 19 pratas e 16 bronzes.

Seu currículo ainda conta com dois capítulos especiais, obtidos ao lado de Fábio Luiz. Em 2005, a parceria conquistou o título do Campeonato Mundial, em Berlim. Três anos mais tarde, fizeram a final olímpica de Pequim 2008 diante dos norte-americanos Phil Dalhausser/Todd Rogers, ficando com a medalha de prata.

No ciclo olímpico de 2004, em Atenas, onde participou com Benjamin, Márcio Araújo obteve o nono lugar. "Fiz um ciclo vitorioso, trouxe inúmeros títulos para o Brasil e isso me credencia como uma pessoa bem-sucedida na carreira esportiva. Fico feliz com o reconhecimento”, ressalta o atleta.

“O vôlei de praia mudou minha vida. Através dele tive a oportunidade de conhecer diferentes culturas e visitar vários países. Conheci pessoas incríveis, isso me fortaleceu psicologicamente. Vivi um sonho através do esporte, e serei eternamente grato por isso”, completa.

Adeus promissor

Na estreia do Fortaleza Open, na manhã desta quarta-feira, Márcio Araújo e seu atual parceiro, Luciano, venceram em três sets os canadenses Grant O’Gorman/Sam Pedlow, cabeças de chave número 8 da competição (14/21, 21/17 e 15/8). Semana passada, a dupla disputou na cidade a última etapa do Circuito Brasileiro, e estava melhor aclimatada ao calor e o vento típico da capital do Ceará. No confronto seguinte, nova vitória - desta vez sobre os venezuelanos Fañe/Henriquez, por 2 sets a 0 (21/18 e 21/19).

"Estou atuando sem muita pressão. Então, procurei me divertir e me apresentar bem para a torcida. É minha última vez, então tenho que curtir o momento”, finalizou Márcio Araújo, que planeja trabalhar em projetos esportivos em Fortaleza após o encerramento da carreira.


Gol Linhas Aéreas Nissan
Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade