Circuito Mundial

  • Crédito: Denis Ferreira Netto/CBV

    Larissa e Talita comemoram mais um título na temporada

Larissa e Talita voltam ao alto do pódio em Gstaad

Em uma final brasileira, Larissa e Talita levam seu 3º título na temporada
Por: João Teixeira - 11/07/2015 15:35:29
630 visualizações

Campeonato após campeonato, a hegemonia do Brasil nas areias mundo afora segue intacta. Neste sábado (11.07) Larissa e Talita reencontraram seu melhor e sagraram-se campeãs do Major Series de Gstaad, realizado na Suíça. O resultado, conquistado de maneira invicta e sem um único set perdido, representa a sétima medalha de ouro seguida do país no torneio feminino do Circuito Mundial 2015. Na quarta final consecutiva entre duplas brasileiras no circuito, as atuais campeãs do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia venceram as vice-campeãs mundiais Taiana e Fernanda Berti por 2 sets a 0 (21/13 e 21/17), 32 minutos de jogo. Com o resultado, Larissa e Talita recebem a premiação de U$ 57. 000 e 800 pontos no ranking da competição. Além disso, deixam a corrida olímpica por uma vaga aos Jogos do Rio 2016 ainda mais acirrada.

Ágatha e Bárbara Seixas, que deram adeus à disputa em Gstaad na fase de quartas de final, seguem na liderança da corrida olímpica, com 2.840 pontos. Larissa e Talita, com 80 pontos a menos, agora figuram na segunda colocação (2.760 pontos), enquanto Juliana e Maria Elisa, que foram eliminadas nas quartas, são as terceiras colocadas, com 2.600 pontos.

Com a medalha de prata Taiana e Fernanda Berti levam para casa U$ 43.000, e 720 pontos no ranking mundial. Na disputa pela primeira vaga olímpica, a cearense e a carioca aparecem em quarto lugar, com 1.600 pontos. A próxima etapa do Circuito Mundial acontece entre os dias 21.07 e 26.07 no Japão, com o Grand Slam de Yokohama.

Antes da decisão verde-amarela, os times precisaram passar pela semifinal do Major Series de Gstaad. Contra Heather Bansley e Sarah Pavan, Larissa e Talita reeditaram a grande decisão do Major Series de Porec, disputado mês passado na Croácia e vencido pelas brasileiras por 2 sets a 1. As campeãs brasileiras de vôlei de praia iniciaram a partida de maneira avassaladora, com Talita vencendo todos os confrontos na rede contra a gigante Sarah Pavan, de 1,96 m, e quebrando a recepção adversária no saque. Desta maneira, a dupla abriu 12/3. Com o controle absoluto do jogo, ao natural a dupla alcançou o set point em 20/13, fechando a primeira etapa no lance seguinte, após largada precisa de Talita.

O Canadá voltou mais ligado na defesa no segundo set e endureceu o jogo para o time brasileiro. Com Sarah Pavan sacando e correndo para bloquear, as rivais abriram 5/2. Só que do outro lado da rede o Brasil contava com a cobertura precisa de Larissa, que alcançou o empate em 11/11, e a virada na seqüência, com 15/14. A reação minou a confiança das adversárias, que passaram a acumular erros. Nesta altura do jogo, nada tiraria a vaga de Larissa e Talita na finalíssima. Com três match points, Talita fechou o set em 21/17 e o jogo em 2 sets a 0.

Do outro lado da chave, a vaga seria decidida no duelo entre Taiana e Fernanda Berti e Kerry Walsh e April Ross. Seria. Com uma lesão no ombro direito, sentida na vitória sobre Ágatha e Bárbara Seixas, pelas quartas de final, a tricampeã olímpica Walsh não reuniu condições de jogo e sequer entrou em quadra, confirmando a quarta final consecutiva entre duplas brasileiras na temporada 2015 do Circuito Mundial.

Sob a arena central de Gstaad lotada, de um lado da rede Taiana e Fê Berti buscavam após o vice-campeonato mundial na Holanda o primeiro título no Circuito Mundial 2015. Do outro, Larissa e Talita queriam provar que o mesmo voleibol alegre e envolvente apresentado pela dupla, e que se destacou no início na temporada 2015, havia voltado.

A primeira impressão das equipes em quadra foi de estudo, já que os times estavam habituados a se enfrentar no Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. Larissa e Talita começaram a partida em vantagem, com Talita anotando três pontos consecutivos para marcar 5/3. O primeiro rally da partida, finalizado por Larissa, levantou a torcida Suíça e deixou a parceria em vantagem, com 7/4. Na altura do primeiro tempo técnico o placar seguia favorável para as campeãs brasileiras, com 13/8.

Taiana e Fernanda Berti seguiam sem conseguir desenvolver seu voleibol, e a diferença no placar foi ampliada para oito pontos, com 18/10. A parceria formada há um ano ainda buscou uma reação com Taiana, mas o primeiro set estava encaminhado. Em outro belo rally, Larissa fechou a primeira etapa em 21/13.

Com o saque encaixado, Taiana e Fernanda Berti iniciaram o segundo set em vantagem, com 5/2. Com o desenvolvimento da etapa final, a cearense e a carioca conseguiram se manter na liderança até os 14 pontos, quando a dupla de top verde empatou e virou em 15/14, após largada de Larissa no fundo da quadra. A partir deste momento do jogo, Larissa e Talita emplacaram uma seqüência que garantiria o título em Gstaad. Conscientes e com grande volume de jogo, as atletas alcançaram 20/17 e fecharam o jogo no lance seguinte, com a cearense explorando o bloqueio de Taiana e correndo para a torcida.

“Essa foi uma etapa muito bacana. Somos um time novo, que está completando um ano, e esse título foi o nosso presente. As últimas quatro semanas não foram fáceis, passamos por várias coisas, mas acho que precisávamos passar por isso. A gente precisava se descobrir, passar por situações difíceis, e foi justamente isso que aconteceu. Foi lesão, torneios importantes que não conseguimos dar o nosso melhor, e foi muito complicado chegar aqui e conseguir assimilar tudo isso. Mas nós conseguimos, demos o nosso melhor, e nos redescobrimos”, desabafou Talita.

“O atleta não pode se acomodar nunca, assim como não aceitar o erro e nem as derrotas. Com a gente não é diferente. Apesar de isso ser possível acontecer, acho que vou ficar velhinha e ainda assim não vou estar aceitando derrotas e o erro. Muito se fala em dois grandes talentos e como será o time. Nosso principal desafio é justamente esse, formar um time forte, vencedor. Não são somente duas jogadoras fortes, assim ninguém chega a lugar nenhum. Precisamos manter essa sequência de resultados exatamente por termos escolhido uma a outra, por nos respeitarmos e sermos felizes jogando”, completou Larissa.

A vitória de Larissa e Talita colocou ainda mais emoção e competitividade à corrida olímpica pela primeira vaga do país aos Jogos do Rio, no ano que vem. De acordo com Talita o alto nível de jogo apresentado pelas duplas brasileiras, que conquistaram sete medalhas de ouro seguidas no Circuito Mundial 2015, faz com que todos os times femininos envolvidos na disputa cresçam de produção. "Nosso objetivo desde a formação da dupla é a classificação olímpica. O que está sendo mais bacana é que os times estão apresentando um bom voleibol, isso é bom e eleva o nível de todas nós. Faz com que a gente esteja sob pressão o tempo inteiro, e na pressão  a gente tem que jogar bem. Então a melhor coisa que poderia ter acontecido é os times do Brasil irem tão bem, faz com que a briga seja boa para representar o país”, analisou Talita.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade