Olimpíadas

  • Crédito: Divulgação/FIVB

    Prata em Roma, Ágatha/Duda dependem da confirmação da CBV para comemorar vaga olímpica.
  • Crédito: Divulgação/FIVB

    Grande desempenho na temporada mundial colocou Ana Patrícia e Rebecca na rota olímpica.

Com um pé na areia Olimpíca

Torneio cinco estrelas de Roma praticamente define corrida olímpica brasileira por Tóquio 2020
Por: Redação - 09/09/2019 09:39:44

Restando menos de 320 dias para o início dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, o Brasil já conhece as duplas que muito provavelmente representarão o país na principal competição do planeta no vôlei de praia: Ágatha/Duda e Ana Patrícia/Rebecca, no feminino, e Alison/Álvaro Filho e Evandro/Bruno Schmidt, no torneio olímpico masculino. Embora dependa da oficialização por parte da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), já que o período de classificação segue até o final de fevereiro do ano que vem, o panorama pós-temporada 2018/19 indica a classificação matemática das parcerias.

Entre as mulheres, o vice-campeonato no World Tour Finals de Roma, competição que encerrou a temporada 2018/19 do tour mundial, garantiu à Ágatha/Duda 810 pontos na corrida olímpica, dentro dos critérios da CBV. Dessa maneira, elas alcançaram 6.320 pontos. Bronze no Foro Itálico, Ana Patrícia/Rebecca somaram 720 pontos na corrida olímpica e agora estão com 6.150 pontos.

Ainda resta aos times brasileiros um único torneio de quatro estrelas ou mais elegível para a classificação olímpica, o torneio quatro estrelas de Chetumal, no México, em novembro, que rende ao time campeão 800 pontos na corrida olímpica. Como Ana Patrícia/Rebecca abriram 1.130 pontos para a dupla terceira colocada, Carol Solberg/Maria Elisa, caso outros torneios de grande porte - quatro ou cinco estrelas - não sejam confirmados no calendário do Circuito Mundial 2019/20 até o fim de fevereiro, Ágatha/Duda e Ana Patrícia/Rebecca serão as representantes do país dos Jogos.

O panorama de classificação olímpica brasileira é semelhante entre os times masculinos. Mesmo caindo na fase de repescagem em Roma, Alison/Álvaro Filho alcançaram 5600 pontos na corrida olímpica, o suficiente para se manterem na liderança. Evandro/Bruno Schmidt pararam nas quartas de final em solo italiano e chegaram a 5.550 pontos na corrida olímpica - 690 pontos a mais que André Stein/George, que figuram na 3ª colocação. Levando em consideração o atual calendário mundial, André/George seguem com chances matemáticas.

O Brasil conta com quatro vagas para as Olimpíadas, duas para o torneio feminino e outras duas para o masculino. O período de classificação olímpica teve início em 1º de fevereiro de 2019 e segue até 28 de fevereiro de 2020. De acordo com o critério da CBV, somam-se os 10 melhores resultados obtidos nas etapas quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial e no Campeonato Mundial.

 

Confira a corrida olímpica brasileira (soma dos 10 melhores resultados)

 

Masculino

Alison/Álvaro Filho – 5600 pontos

Evandro/Bruno Schmidt – 5550 pontos

André Stein/George – 4810 pontos

Guto/Saymon – 3130 pontos

Pedro Solberg/Vítor Felipe – 2800 pontos

 

Feminino

Ágatha/Duda – 6320 pontos

Ana Patrícia/Rebecca – 6150 pontos

Carol Solberg/Maria Elisa – 5020 pontos

Talita/Taiana – 4280 pontos

Fernanda Berti/Bárbara Seixas – 4090 pontos


Gol Linhas Aéreas Nissan
Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade