+ Notícias

  • Crédito: FIVB.

    Alison e Bruno Schmidt quando conquistaram o bicampeonato do WT Finals em Toronto 2016.

Alison enaltece sua amizade com Bruno

Campeões de tudo, Mamute e o Mágico têm parceria vencedora graças à afeição e o respeito
Por: Redação - 28/11/2017 09:52:17
948 visualizações

Alison Cerutti/Bruno Schmidt é considerada a dupla mais vencedora desde os Jogos Olímpicos de Londres 2012. A dupla brasileira já conquistou o Circuito Mundial da FIVB e o Campeonato Mundial da Holanda em 2015, o bicampeonato do WT Finals (2015 e 2016) e, a mais importante de todas, a medalha de ouro nas Olimpíadas do Rio 2016.

O entrosamento entre o Mamute e o Mágico não se restringe apenas dentro de quadra. Os campeões olímpicos e mundiais são amigos há mais de 10 anos e isso tem contribuído para que as vitórias sejam atingidas. "Nós nos conhecemos há mais de uma década, desde que iniciamos nossas carreiras", lembrou Alison, em entrevista ao site Beach Major Series.

"Nossa amizade definitivamente ajuda muito a nossa equipe mesmo que façamos um trabalho muito bom em mantê-la separada de nossa relação profissional. Nós literalmente falamos a mesma língua e sabemos como e quando enaltecer ou empurrar um ao outro. Nós temos os mesmos objetivos, os mesmos valores e isso torna as coisas muito mais fáceis", analisou o gigante.

A amizade de Alison e Bruno iniciou em 2005, quando ambos - adolescentes à época - moravam na mesma cidade, Vitória, no Espírito Santo, e decidiram competir em algumas etapas do Circuito Brasileiro. Porém, a dupla sofreu uma cisão e os dois tomaram caminhos diferentes.

Alison teve mais sucesso que o futuro companheiro ao conquistar o segundo lugar do Campeonato Mundial em 2009, com Harley, e a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, ao lado de Emanuel. Já Bruno atuou com Fábio Luiz, Benjamin e Pedro Solberg. Depois disso, em 2014, o Mamute e o Mágico se juntaram novamente para formar a vitoriosa equipe.

Porém, o começo foi complicado. Os resultados relevantes demoraram para aparecer e Alison Cerutti sofreu uma grave lesão com o rompimento parcial do tendão patelar do joelho direito. O jogador ficou três meses afastado das quadras. Para ele, a superação desse o momento foi de extrema importante para história da dupla.

"Quando as pessoas falam sobre nós, elas costumam pensar em 2016, pois foi a nossa temporada mais bem sucedida. Mas, 2014 foi um ano muito importante, pois aprendemos muito, vimos como precisávamos acreditar em nosso trabalho e começar a construir o time que estamos agora. Isso nos ajudou a obter bons resultados em 2015 e a saber como lidar com a pressão em 2016", ressaltou.

Mesmo com estilo de vida e comportamentos opostos, Alison acredita que o respeito foi importante para o sucesso da dupla. "Somos muito diferentes em nossos estilos de vida", reconhece Alison. "E isso funciona muito bem porque nos respeitamos muito e sinto que nos complementamos, tanto como amigos quanto como parceiros. Depois de quatro anos, sabemos como lidar com nossas diferenças e, apesar das nossas diferentes personalidades, nós nos certificamos de que os nossos objetivos estão sempre alinhados. Foi assim mesmo desde que atuamos juntos pela primeira vez", finalizou.

Devido ao estresse muscular causado pela exigente temporada, Alison Cerutti não participou das últimas duas etapas do Circuito Brasileiro, mas deverá estar recuperado para o início da temporada 2018.



Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade